IBValinhos – Vídeo Aniversário 5 Anos

Anúncios

O Livro de Rute

Nesta semana vamos ver o Filme sobre o Livro de Rute.

Na Bíblia, o livro de Rute é um manual de instruções sobre relacionamentos familiares, o qual, além de determinar claramente que o compromisso é a chave para qualquer relação interpessoal, revela um amor triunfante em face da adversidade.Conheça a jornada altruísta de amor e devoção de Rute, uma jovem viúva que, após a morte de seu marido, escolhe deixar Moabe, sua terra natal, e seguir a sogra, Noemi, em direção a Israel. Porém, como essa atitude poderá afetar todo o curso de sua vida?

Com um final surpreendente, O livro de Rute – que narra fielmente a história bíblica homônima – retrata a vida de uma família fiel que vivia em um vilarejo e honrava Javé. Por meio deste DVD, que traz uma importante mensagem para todos, saiba que Deus usa pessoas simples e cria acontecimentos comuns para alcançar Seus grandes propósitos!

Enoque o homem que andava com DEUS

Texto: “Enoque viveu sessenta e cinco anos e gerou a Metusalém. Andou Enoque com Deus; e, depois que gerou a Metusalém, viveu trezentos anos; e teve filhos e filhas. Todos os dias de Enoque foram trezentos e sessenta e cinco anos. Andou Enoque com Deus e já não era, porque Deus o tomou para si” (Gn 5.21-24).

Continuar lendo

Aquila e Apolo – aprimoramento de liderança

Mais uma vez vamos estudar um pouco mais sobre o livro de Atos, este livro não identifica o seu autor especificamente, de acordo com Lucas 1:1-4 e Atos 1:1-3, é evidente que o mesmo autor escreveu os dois livros. A tradição desde os primeiros dias da igreja tem sido que Lucas, um companheiro do apóstolo Paulo, escreveu tanto Lucas como Atos (Colossenses 4:14; 2 Timóteo 4:11).

Continuar lendo

Trecho do filme Sargento York – Filme 1941 -(exercício de tiro no exército)

Alvin Yrok era um fazendeiro ranzinza e briguento no interior do Tennesse até que, como num milagre, se torna religioso e promete nunca mais arrumar confusão. Quando estoura a guerra em 1914, ele não se alista, alegando ser um pacifista. Porém é forçado a servir e acaba se tornando um famoso herói de guerra. Apesae de seus ideais, sua ir vem à tona quando vários companheirois são mortos pelo inimigo e ele vence uma batalha contra os alemães praticamente sozinho, usando técnicas de caça.

A História real do Sargento York – Alvin Cullum York

Alvin Cullum York nasceu em 13 de dezembro de 1887 em Pall Mall, Tennessee, Estados Unidos. O mais velho de 11 irmãos, criado no seio de uma família que vivia da agricultura de subsistência, York cresceu em uma região rural e desde jovem destacou-se como um exímio atirador e, depois, como um encrenqueiro daqueles “que não leva desaforo para casa”.alvinyork1tg0

Entretanto, a morte de um amigo em uma briga de bar, em 1914, fez com que York abandonasse este estilo de vida e passasse a freqüentar a Igreja de Cristo na União Cristã – um pequeno séqüito liderado pelo pastor H. H. Russell que existia nos Estados de Ohio, Kentucky e Tennessee. De um código moral extremamente rigoroso (ou “carola”) os seguidores desta Igreja, eram proibidos de beber álcool, dançar, ir ao cinema, nadar e mesmo ler literatura popular. A Igreja também tinha uma doutrina contrária à guerra e à violência.

De acordo com a maioria das testemunhas, a conversão de York foi sincera e ele parou de jogar, brigar e beber. Dotado de uma boa voz, ele passou a liderar o coro da Igreja, onde também encontrou sua futura esposa, Gracie Williams. Contudo, a declaração de guerra dos EUA à Alemanha, em abril de 1917 mudaria drasticamente sua vida.

Em 05.06.1917 York recebeu de uma colega da Igreja, Rosie Pile, o telegrama com sua convocação. Pile encorajou York a usar a doutrina da Igreja de Cristo na União Cristã como fundamento para pedir sua dispensa com base na alegação de “objeção consciente à guerra”. No entanto, seu pedido foi negado pelas autoridades que não reconheciam aquele culto como um segmento oficial da Igreja.

Nunca tendo viajado mais de 70 quilômetros além de sua cidade natal, York representava em muitos aspectos o típico homem rude e de educação pobre que compôs a maior parte do Exército americano da I Guerra Mundial. Seu treinamento básico foi feito em Camp Gordon, Georgia e, como um membro da Companhia Company G do 328º de Infantaria – parte da 82ª Divisão conhecida como “All American Division” – ele rapidamente estabeleceu uma reputação de atirador exímio, mas “sem estômago para a guerra”. Somente após semanas de debate e aconselhamento, com o comandante da sua companhia, George Edward Buxton, é que York passou a admitir que, algumas vezes, a guerra era “moralmente aceita”. Diante disso, ele aceitou lutar.

Continuar lendo

Boaz – Um homem valente e temente a DEUS – Parte final

… Continuação

À meia-noite, Boaz acorda tremendo de frio. Não é para menos, pois alguém descobriu seus pés de propósito e se deitou bem ali! Ele não reconhece quem é porque está escuro. Por isso, pergunta: “Quem és?” Uma mulher responde: “Sou Rute, tua escrava, e tens de estender a tua aba sobre a tua escrava, visto que és resgatador.” Rute 3:1-9.

Continuar lendo

Boaz – Um homem valente e temente a DEUS – Estudo nr. 02

… Continuação

Por isso o caso de Rute era um caso particular pois além de ser viúva ela era estrangeira na terra de Israel, ela acompanhou Noemi, que havia perdido o seu marido e estava em situação muito difícil na terra de Moabe, e ouviu dizer que em Israel as coisas haviam melhorado e decidiu voltar, mas antes de voltar pra sua terra natal ela chamou suas duas noras e disse “Vão e voltem para a casa de sua mãe” Rute 01:06-08.

Continuar lendo

Boaz – Um homem valente e temente a DEUS – Estudo nr. 01

O estudo de hoje nos mostra uma história muito legal, e bem emocionante, a Bíblia por vezes nos traz várias histórias, entre eles conta sobre guerras, batalhas, estratégias, nos conta sobre o livramento de DEUS ao seu povo em vários episódios, conta também histórias bonitas e emocionantes inclusive de um amor como essa que vamos ver no Livro de Rute. O Livro não nos revela quem é especificamente o autor dele, porém por análises e pela forma de ser contada muito provavelmente foi escrito pelo profeta Samuel.

 

Continuar lendo

Cornélio, o primeiro gentio a se tornar cristão

Na Bíblia, os escritores não procuraram dar ênfase a outros povos e culturas toda a narração e escrita se refere unicamente ao povo escolhido de DEUS, a identidade judaica é a principal marca cultural presente na Bíblia.

Para que seja possível conseguir informações da vida diária de outros povos e nações temos que recorrer a estudos comparativos, ou de origem histórica e alguns aspectos até mesmo a questão linguística podem nos dar parâmetros que nos norteiam, como é o caso deste personagem bíblico que vamos analisar a partir este momento, e tirar algumas lições para nossa vidas através de seu testemunho de vida.

Encontramos este personagem no novo Testamento especialmente em Atos dos Apóstolos. Cornélio, o Centurião, era o nome do primeiro gentio, ou seja, um pagão não judeu e não circuncidado como era o costume, a converter-se ao cristianismo.

Cornélio é considerado o primeiro gentio ou também chamado pagão (A palavra gentio designa um não israelita e é, muitas vezes, usada no plural.) já a palavra pagão também tem uma origem interessante, os estudiosos dizem que a explicação para a utilização da palavra é que a população cristã era geralmente concentrada nas cidades de Roma e Constantinopla, enquanto as pessoas das áreas rurais – os pagani – geralmente eram adeptos da “velha religião” adorando Júpiter e Apolo em vez de Cristo, voltando ao Cornélio, ele através de sua conversão ao senhor Jesus foi salvo, e o relato bíblico é que tenha sido o primeiro não judeu a fazê-lo.

No livro escrito por Lucas Os Atos dos Apóstolos At.10,1-6 encontramos a história se sua conversão:

1 Havia em Cesaréia um homem chamado Cornélio, centurião do regimento conhecido como Italiano.

2 Ele e toda a sua família eram piedosos e tementes a Deus; dava muitas esmolas ao povo e orava continuamente a Deus.

3 Certo dia, por volta das três horas da tarde, ele teve uma visão. Viu claramente um anjo de Deus que se aproximava dele e dizia: Cornélio!

4 Atemorizado, Cornélio olhou para ele e perguntou: “Que é, Senhor? ” O anjo respondeu: “Suas orações e esmolas subiram como oferta memorial diante de Deus.

5 Agora, mande alguns homens a Jope para trazerem um certo Simão, também conhecido como Pedro,

6 que está hospedado na casa de Simão, o curtidor de couro, que fica perto do mar”.

Centuriao-romano

Esta é a história da primeira conversão de um pagão (aquele que não é judeu) narrada na Bíblia. A narrativa mostra como Deus dispensou a sua Graça na salvação a Cornélio. Esta história mostra que salvação e dada por Deus a todos, não importa quem seja, basta procurar de coração sincero.

Cornélio um centurião Romano na Palestina.

Cornélio era um centurião romano oriundo da nobreza romana, a serviço do Império Romano na Palestina, que se estabeleceu em Cesárea. Era um comandante de cem soldados daquela divisão do exército romano, assim organizavam os Romanos, os seus contingentes militares. Apesar de estar a serviço do Imperador era conhecido como homem temente a Deus, o Deus de Israel o atraia.

Cornélio se tornara um prosélito, (Pessoa que abdicava de suas crenças para adotar a religião judaica) se aproximava do Judaísmo passava olhar com bons olhos os judeus. Cornélio era considerado um pagão convertido ao judaísmo. O texto nos indica aspectos de sua personalidade. Passa a ser conhecido por suas esmolas e por suas orações, duas qualidades vividas na religião judaica.

centuria

As características espirituais de Cornélio eram:

Um homem extremamente piedoso. Seguia o que a lei judaica pedia. Era um homem temente a Deus. Toda a sua casa o acompanhava ele e honravam a Deus. O texto dos Atos dos Apóstolos aponta como um homem generoso. Socorria com esmolas os pobres. Considerado por todos como um homem justo. Vejam o versículo 22

“22-Os homens responderam: “Viemos da parte do centurião Cornélio. Ele é um homem justo e temente a Deus, respeitado por todo o povo judeu. Um santo anjo lhe disse que o chamasse à sua casa, para que ele ouça o que você tem para dizer”. Atos 10:22

homem justo e temente a Deus a quem e toda a nação judaica, presta bom testemunho – versão da Bíblia de Jerusalém.

Cesaréia fazia fronteira com a terra judaica e com o mundo pagão. São dois mundos e de mentalidades diferentes. Os judeus vivem limitados por dois grandes tabus: A lei que proibia de comer determinados alimentos e também de misturar-se com pagãos. Isso teve que ser quebrado pelo próprio Deus, porque seria pedra de tropeço para o crescimento do evangelho.

Isso explica a visão de Pedro quando foi visitar Cornélio, a convite dele mesmo, sob as ordens de Deus. Cornélio foi o primeiro a se converter entre os gentios e sua conversão foi marco de uma mudança na cultura judaica.

Quantos Cornélios tem no mundo da religiosidade, que agradam a Deus? Nós mortais não sabemos, mas o Senhor sabe. O ponto de partida é o evangelismo para formar o povo de Deus.

De tudo que podemos aprender da vida de Cornélio podemos dizer que temos uma grande lição: Fazer o bem, amar mesmo que seja difícil e quase impossível. ”Em outras palavras despertar as relações justas entre os homens a fim de que eles vençam a alienação e construam uma sociedade voltada para a vida. Vamos ver a analisar algumas dessas lições que este estudo trazem para nossas vidas.

1ª lição – Humildade:

Cornélio era humilde, mesmo sendo Centurião da Corte da Itália. Cornélio pouco se importava com o título que possuía e nem mesmo com a importância social que desfrutava.

2ª. Lição – era bondoso

Seu currículo de vida dizia que ele pertencia ao grupo dos que agradava a Deus, pois era temente, e sua bondade extrapolava pois dava muitas esmolas e cultivava o costume de orar.

3ª. Liçãoà Homem de vida exemplar

Por causa do testemunho de Cornélio a sua família e seus amigos receberam a salvação e a presença de Deus em suas vidas. Cornélio creu no Evangelho e todos os que ouviam a palavra foram salvos. Ele foi batizado. passou a ser uma nova criatura em Cristo Jesus. Seu passado foi sepultado.

Ele procurava ser correto em todas as suas atitudes a serem tomadas como centurião Romano. Cornélio não se descuidava da oração. Rejeitava os deuses pagãos e era obediente ao Deus verdadeiro.